Neiva Melo comunicação empresarial

“Repórter de verdade atravessa a rua de si mesmo para olhar a realidade do outro lado da sua visão do mundo"

Eliane Brum

“Os jornalistas deixam a gente mais inteligente”

Jorge Gerdau Johannpeter

“Não existe mobilização sem os jornais”

Mahatma Gandhi

“Aqui na agência, somos obssessivos por notícias de qualidade e resultados estratégicos”

Neiva Mello


Mídia

04/06/2016 Zero Hora- Coluna Marta Sfredo

Teste do estresse, Brasil conseguirá se superar, diz ministro Monteiro


Custos sistêmicos, modelo tributário disfuncional e o desequilíbrio macroeconômico seguem como gargalos para quem quer produzir e exportar. Ao cenário, já conhecido pelas indústrias brasileiras, foi acrescentado um novo componente: a crise política. “Vivemos momentos difíceis. O Brasil está submetido ao teste de estresse, mas não tenho dúvidas ao dizer que o país vai encontrar respostas e superar tudo isso. Mesmo apontando mazelas, como a corrupção, as atuais circunstâncias revelaram a solidez e o alto grau de autonomia das instituições. Em que outro país emergente isso aconteceria?”, questionou o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, no lançamento do 44º Prêmio Exportação RS. No evento, realizado nesta terça-feira (5) no Centro de Eventos do Hotel Sheraton, em Porto Alegre, também foi anunciado o nome de Alexandre Grendene como Personalidade Competitividade Internacional e que a grandiosa festa de entrega da premiação está agendada para 21 de junho, no Bourbon Country, na capital gaúcha.

Ao citar que o projeto de ajuste da economia não se completou, o ministro apontou dois fatores positivos na situação que o país atravessa: os realinhamentos de preço e cambial. “O realinhamento cambial, considerado fundamental na economia, vai pesar na receita das vendas externas. O novo patamar do câmbio vai permitir que as empresas retomem os canais de exportação, consequentemente a recuperação dos anos de perdas da indústria”, destacou. Disse, ainda, que o Brasil está mais competitivo e conseguindo reduzir as desigualdades dos custos sistêmicos. Exemplo é a substituição das importações que já vem sendo sentida pelo setor do vestuário.

Mas segundo o ministro, ainda é preciso fazer o dever de casa. Um dos pontos que precisa evoluir é a reforma estrutural com capacidade de quebrar a vinculação rígida dos gastos públicos (hoje, 91% das despesas obrigatórias são folha de pagamento e financiamento da Previdência). “A economia se contrai e os gastos continuam a se expandir”, relatou o ministro na palestra Estratégias e Instrumentos para o Desenvolvimento das Exportações Brasileiras.

40 BRASIS - No plano das exportações, Monteiro reafirmou que não se opta pelo comércio internacional somente quando é conveniente. Bem ao contrário, a aposta de contratar demandas externas deve ser permanente. “Hoje, há um PIB de 40 Brasis fora de nossas fronteiras. E devemos buscar estes mercados”, disse ele, incitando a plateia, formada pelo vice-governador do RS, João Paulo Cairoli, presidente de federações e associações, presidentes e executivos das maiores empresas do Rio Grande do Sul.

O ministro também destacou três ações trabalhadas com o mercado externo, entre elas a construção de um padrão de convergência regulatório com os Estados Unidos, que beneficiará diversos setores, como da cerâmica; o direcionamento do olhar para os países da Aliança do Pacífico e o fechamento de acordos na área de serviços e para desgravação tarifária. Por falar em acordo, ainda em abril deve ser iniciado as trocas comerciais entre Mercosul e União Europeia, processo que se arrasta há mais de 20 anos.  

O presidente da ADVB/RS, Sergio Maia, fez referência a batalha cotidiana para as empresas crescerem e conquistarem a inserção no mercado global. “Mesmo sendo a 7ª maior economia, com 3% do PIB mundial, ainda estamos no 25º lugar em termos de exportações, com apenas 1,2% do total. Do gap a ser preenchido, as exportações representam atualmente 11,5% da economia brasileira, uma grande distância da média global de 29,8%. Dentro do universo mensurado pelo Banco Mundial exportamos proporcionalmente mais apenas que economias como Afeganistão, Burundi, Sudão, República Centro Africana e Kiribati”, afirmou.

Para o presidente da ADVB/RS, em um mundo global, poderemos ser grandes se nos virarmos para fora, viabilizando modelos de negócio com escala e eficiência suficientes para competir. Segundo ele, o governo não deve atrapalhar, mas negociar acordos e tratados que eliminem entraves por parte de outros governos e alocar um pouco do dinheiro que as empresas e os contribuintes pagam em impostos para reduzir os custos de transação.  “Países não são mais bandeiras, são plataformas onde empresas desenvolvem seus negócios a escala global, o chamado mundo plano”.

TALENTO – A atenção para a infraestrutura foi a deixa do vice-governador José Paulo Cairoli. "Hoje não dispomos de recursos para darmos a guinada tão sonhada para o nosso Estado. Temos estradas sem condições, energia elétrica deficiente e portos com custos acima do desejado. Nossa saída passa obrigatoriamente pelas concessões e parcerias com a iniciativa privada”, defendeu. O vice-governador mostrou que o Estado não desistiu de alcançar saldo favorável na balança comercial. Uma das alternativas para estimular os negócios internacionais foi o recente lançamento do programa ExportaRS, voltado a micro, pequenas e médias empresas. "Sem exportação bem-sucedida não avançaremos, e existe potencial para todos os segmentos.”

RESPALDO ESTRATÉGICO - Anfitrião do evento, o empresário e presidente do Conselho Prêmio Exportação RS, Renato Malcon, enfatizou que a ousadia e o talento dos empreendedores merecem esforços governamentais de respaldo estratégico e material em vários campos da responsabilidade pública. “Nestas quatro décadas de prêmio, atravessamos crises e desencontros, mas nossos empresários souberam vencer os desafios do comércio com outros países e, com impressionante obstinação, abriram fronteiras, rasgaram horizontes e deram exemplo de como expandir mercados.”

O 44º Prêmio Exportação é promovido por 19 instituições que representam o comércio exterior brasileiro. Chamado de Conselho Prêmio Exportação RS, os representantes destas entidades chamam para si a análise do ambiente empresarial e do mercado, o que resulta na seleção de empresas com trajetórias diferenciadas, responsáveis por agregar valor e muita inovação, trazendo divisas e desenvolvimento para o País e para o Estado. “Atuamos como curadores do desenvolvimento estratégico e colaboramos para colocar o comércio exterior em foco. O ápice desse conjunto de ações é a premiação”, complementou o CEO do Conselho, Paulo Tigre. 

PERSONALIDADE

Sob seu comando, a Grendene tornou-se uma das maiores exportadoras de calçados do Brasil e uma maiores exportadoras de calçados do Brasil. Posicionamento no mercado global e trajetória profissional que renderam a Alexandre Grendene o título de  Personalidade Competitividade Internacional. A escolha do seu nome foi unânime no Conselho do Prêmio Exportação RS. 

ADVB/RS



Relacionado a ADVB/RS:

05/01/2016 Revista Press Advertising

TOP DE MARKETING ADVB 2015 PREMIA EMPRESAS QUE DESAFIAM A CRISE ECONÔMICA

ADVB/RS chega a 33ª edição do TOP de Marketing

01/10/2015 Revista expansão

24º Congresso de Marketing ADVB/RS reunirá palestrantes nacionais e internacionais com empresários gaúchos para debate sobre soluções em meio à crise

Congresso de Marketing, uma das principais agendas no calendário anual da ADVB/RS, acontecerá no dia 1 de setembro, das 8h às 18h, no Teatro do Bourbon Country

Últimas publicações

30/03/2017

Caderno Geração E, Jornal do Comércio (POA-RS)

Quando o empreendedorismo desperta bem cedo

Do colégio aos primeiros anos da faculdade, como é a entrada de muitos jovens no mundo dos negócios

Junior Achievement

27/03/2017

Clube dos Jangadeiros

Breno Kneipp e Ian Paim, do Clube dos Jangadeiros, são campeões sul-americanos de 29er

Principais nomes da vela jovem sul-americana, a dupla defenderá o Brasil no Campeonato Mundial da Classe, nos EUA

Clube dos Jangadeiros

14/03/2017

G1 Paraná - Bom Dia Paraná

Feira apresenta bolsas de estudo e cursos em 50 instituições estrangeiras

EDUEXPO acontece em Curitiba no dia 16 de março, das 16h às 21h, no Hotel Four Points by Sheraton Curitiba (Av. Sete de Setembro, 4211).

EDUEXPO

Ver todos